Se você já pratica ciclismo há um tempo, percebeu que existem inúmeros fatores e técnicas que interferem diretamente na pedalada. Um conceito que todas as pessoas que andam de bicicleta com frequência, seja quem gosta de fazer passeios, seja um atleta profissional, precisam saber é a cadência no ciclismo.

Muitas pessoas não conhecem esse conceito e acabam tendo um baixo desempenho no esporte. Por isso, neste artigo trouxemos o significado desse termo, qual é a diferença entre cadência alta e baixa e, por fim, como defini-la. Confira!

O que é cadência no ciclismo?

Basicamente, cadência no ciclismo é o número de giros que o pedal da bicicleta dá no intervalo de um minuto. Na prática, é uma velocidade medida por meio da Rotação Por Minuto (RPM).

É possível pode medir essa cadência de duas formas. A primeira é usando um equipamento específico para isso — chamado de ciclocomputador — ou seguir as etapas:

  • antes de praticar o ciclismo, escolha uma de suas pernas;
  • mantenha um ritmo constante de movimento;
  • conte quantas vezes o joelho atinge a altura máxima durante 30 segundos. Lembre-se de marcar o tempo em um cronômetro;
  • multiplique o valor por 2, assim você terá a cadência dentro de um minuto.

Por exemplo, se você contou que seu joelho levantou 30 vezes, então seu RPM será de 60. Essa variável está ligada à técnica de pedalada usada para mostrar a intensidade de um treino ou desempenho do ciclista.

Imagine que você tenha feito um determinado percurso com a cadência de 50 RPM, é possível reduzir o tempo necessário para percorrer o mesmo trajeto se você aumentar a cadência para 70 RPM. No entanto, o exercício também se será mais pesado.

Qual é a diferença entre cadência alta e baixa?

Existem dois tipos de cadência que variam conforme a velocidade da rotação do pedal, mas também há reflexos diretos na performance do ciclista, no desgaste de seu corpo e resultados.

São consideradas cadências altas quando ciclistas mantêm giro acima de 80 RPM. Suas principais características são:

  • ideal para quem já é acostumado a pedalar a uma grande velocidade e por tempo mais longo;
  • menor pressão sobre músculos;
  • possibilita que você acelere mais rapidamente;
  • beneficia maiores alterações de marcha;
  • exigirá muito mais de seu coração e pulmão, sendo importante que você já seja treinado.

É considerada uma cadência baixa quando o RPM está abaixo de 80. Suas qualidades são:

  • pessoas já treinadas conseguem manter uma cadência baixa por mais tempo;
  • há menor esforço cardiorrespiratório, o que o torna ideal para iniciantes;
  • maior pressão sobre músculos e joelhos, desgastando a perna mais rapidamente.

Como definir a cadência certa para cada tipo de pessoa?

Primeiro, entenda o que é considerada uma cadência lenta e rápida — aplicável tanto ciclismo tradicional como no bike fit online. Você pode usar a seguinte tabela como parâmetro:

  • até 70 RPM — muito lento;
  • 70-80 RPM — lento;
  • 80-90 RPM — moderado;
  • 90-100 RPM — rápido;
  • 100-110 RPM — muito rápido;
  • mais de 110 RPM — excepcionalmente veloz.

A escolha ideal da cadência dependerá do condicionamento do ciclista e seus objetivos. Quem deseja fazer um treino de força, ou seja, aumentar os músculos de sua perna deve usar uma marcha mais pesada e reduzir a velocidade da cadência para lento ou muito lento.

Por outro lado, quem busca melhorar sua resistência, cardio e fôlego, pode deixar sua marcha mais leve e adotar um RPM mais rápido.

A cadência no ciclismo é amplamente utilizada por ciclistas de diferentes perfis e com objetivos variados. Entretanto, é fundamental ter atenção à sua condição física atual e necessidades para que a escolha de cadência seja feita adequadamente.

Confira outras dicas para melhorar ainda mais sua prática de ciclismo! Conheça 5 apps para ciclistas que desejam aumentar sua performance!x