Você certamente já foi ou conhece alguém que foi pego de surpresa com a corrente da bicicleta escapando, ou simplesmente rompida. Não cuidar dessa peça da bike é um problema, pois sem ela, não tem como você pedalar. Além disso, as condições da corrente ditam a segurança e o desempenho da sua atividade, então é importante entender como trocar corrente de bicicleta.

Para que você saiba quando chegou a hora de fazer a troca, quais sinais avaliar e como proceder nesses casos, selecionamos as informações que você precisa saber em 4 tópicos. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

1. Lave e lubrifique a corrente com frequência

Deixar a corrente secar é uma forma de dificultar a sua própria vida enquanto pedala. Além de dificultar a troca de marchas, isso pode causar barulhos muito incômodos, prejudicando também a durabilidade de todos os elementos de transmissão, já que detritos como pedras podem funcionar como uma lixa dentro do equipamento.

Você deve passar um desengraxante em toda a corrente. Faça isso girando o pedal para trás. Depois, enxágue e deixe secar. Você pode limpar tudo com um pano também, dependendo da sujeira. Na sequência, escolha um óleo específico para lubrificar — sempre leia as instruções — e pingue uma gotinha em cada elo da corrente. Gire os pedais para espalhar. 

2. Respeite a vida útil da corrente

Por mais que você cuide, a corrente tem seu desgaste natural, por isso, você precisa identificar quais sinais indicam que é hora de trocar a da sua bicicleta. Há quem opte por trocar periodicamente de acordo com a quilometragem da bike e o estilo de pedalada, mas caso você não pedale tanto assim, deve se atentar atento às condições da peça.

Há uma ferramenta específica para medir o desgaste, e é uma boa ideia ter uma dessa. O uso não é difícil: ela mede o quanto a corrente está larga, indicando, de acordo com a medição, se há ou não necessidade de troca. Fazer essa verificação periodicamente é essencial para quem ama pedalar. 

3. Aprenda a trocar corrente da bicicleta

Para trocar a sua corrente, você precisa posicioná-la na menor engrenagem, tanto na frente quanto atrás, de forma a diminuir a tensão aplicada. Há correntes que contam com um missing link. Nesse caso, basta localizá-lo e fazer a abertura. Caso contrário, é necessário contar com uma ferramenta específica ou com um alicate fino para extrair o pino que fixa os elos. 

É importante dominar esse procedimento, principalmente se você usa a bike todos os dias. Para instalar a nova corrente, você precisa medir corretamente o tamanho dela. É possível usar o componente anterior ou instalar a peça na transmissão se atentando à folga na marcha — o câmbio precisa ficar esticado (nas maiores engrenagens, dianteira e traseira).

4. Fique de olho na coroa e no cassete

Outro ponto importante ao pensar na manutenção da corrente são os elementos que suportam a peça: a coroa e o cassete. Fique sempre de olho se esses componentes não estão gastos ou muito antigos, pois uma corrente nova não pode ser combinada a elementos que vão comprometer seu desempenho, causando escapes e barulhos.

Ao finalizar a troca da corrente, basta observar se ela funciona corretamente, se fica ajustada sem estar esticada demais, impossibilitando o movimento do câmbio traseiro ou se chocar às partes do quadro. Dica final: nunca saia de casa sem uma ferramenta capaz de trocar corrente de bicicleta, assim, você não é pego desprevenido.

Ficar a par de conhecimentos sobre a manutenção da bike é sempre uma boa ideia. Acompanhe-nos nas redes sociais e fique por dentro de mais dicas sobre o assunto. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram!