1. Aprenda a definir senhas fortes

A primeira dica para iniciar a sua rotina de hábitos seguros é: renove as senhas periodicamente. Para ter uma senha considerada “forte”, você deve utilizar:

  • caracteres especiais, como @, $ etc.;
  • números;
  • letras maiúsculas.

O ideal é fazer uma combinação usando todos esses elementos. Para facilitar, você pode reescrever alguma palavra ou frase que você não esquecerá, fazendo substituição de caracteres. É possível escrever, por exemplo, a palavra “segurança” desta forma: Segur4n*a.

Palavras óbvias e informações pessoais não são recomendadas, pois é mais provável deduzir uma senha assim, mesmo que os caracteres diferenciados dificultem o processo. Além disso, dê preferência às senhas longas.

2. Proteja seus logins e suas senhas

É recomendável ter uma senha para cada conta, especialmente quando uma é o meio de redefinição da outra. Entretanto, pode ser bastante difícil decorar todas essas frases com caracteres especiais etc.

Para isso, você pode usar um administrador de senhas. Há antivírus que têm essa função. Ele mantém suas contas protegidas e dispensa a anotação em outros lugares facilmente acessíveis por terceiros. Já viu aquela pessoa que anota a senha do cartão de crédito, colando um papelzinho com a senha no próprio cartão? Não cometa esse erro!

Verificação de 2 fatores 

Há mais uma dica fundamental para manter suas contas seguras: utilizar a autenticação de dois fatores. Muitos serviços e aplicativos oferecem esse meio de segurança. A conta Google, usada no Android, é um exemplo disso, e o WhatsApp também.

Além de digitar a senha da conta, o próprio serviço enviará uma confirmação em outro meio, para garantir que é você mesmo que está fazendo aquele acesso. É enviado um código, que aparece na tela do seu smartphone, nas SMS ou no Token do aplicativo.

Assim, sempre que você acessar o seu e-mail do Gmail, por exemplo, tem que confirmar qual número está aparecendo na tela do seu Android. Sempre que logar no WhatsApp, precisa digitar o código enviado por SMS, e assim por diante.

3. Renove suas senhas sempre que necessário

Já dissemos que a troca periódica de senhas é recomendável. O ponto de atenção aqui é: não reutilize senhas. Usar senhas antigas facilitará uma possível invasão, colocando você em risco. Para as contas bancárias, mude a senha, no máximo, a cada 2 meses. Para as outras contas, de 3 em 3 meses é suficiente.

Se você receber um e-mail informando que houve uma tentativa de acesso suspeita às suas contas, redefina a senha imediatamente. Essas notificações são justamente para ajudar você a proteger as senhas. Dica de ouro: busque por um seguro de dados. Assim, você não se expõe ao risco de perder suas informações de forma alguma.

Fique sempre por dentro das melhores práticas para se manter em segurança: assine a nossa newsletter e tenha acesso a conteúdos e insights especiais!