Com o número cada vez maior de informações que circulam na internet e nos dispositivos móveis, é necessário que exista algum sistema seguro que possa proteger todos esses dados. A criptografia de ponta a ponta vem com o objetivo de oferecer ao usuário um sistema que proteja informações sigilosas.

Como funciona exatamente a criptografia? Como acioná-la em um aparelho? Será que ela é realmente tão segura? Neste artigo, vamos falar sobre esse tema para que você tenha informações relevantes sobre a eficiência desse sistema. Veja!

O que é a criptografia de ponta a ponta?

Primeiramente, precisamos entender o que seria o conceito de criptografia. Em suma, seria transformar informações e/ou dados transparentes e legíveis em um código que não possa ser compreendido por algo que não faça parte do mecanismo. 

Em vista disso, a criptografia de ponta a ponta significa que apenas os usuários que fazem parte da transição de dados e informações, terão acesso irrestrito àquilo que foi compartilhado. Isso só é possível porque o sistema fornece uma “chave” particular que é exclusiva e intransferível.

A chave tem o propósito de “embaralhar” as informações para evitar crimes cibernético por parte de qualquer intermediário que tente intervir ou modificar o conteúdo. Portanto, apenas quem tem a chave correta terá acesso aos dados que foram transacionados.

Como acionar a criptografia no seu aparelho?

Atualmente, a maioria dos aplicativos que permitem a troca de informações e mensagens é criptografada de ponta a ponta de maneira automática, sem que o usuário precise fazer qualquer ação em seu aparelho. Um desses apps, por exemplo, é o WhatsApp.

No entanto, aplicativos como o Telegram têm a necessidade de o usuário fazer alguma ação para aplicar a criptografia. Para acionar, é bem simples:

  • o    acesse o menu do aplicativo que se encontra no canto superior esquerdo;

    o    encontre uma opção chamada Novo Chat Secreto;

    o    escolha o(s) usuário(s) que farão parte do diálogo;

    o    espere a conexão dos demais para que haja o compartilhamento das informações de maneira protegida.

Uma informação muito relevante é entender que existem dois tipos de criptografias: simétrica e assimétrica. A primeira é a mais comum e a mais fácil de ser corrompida. Consiste na criação de apenas uma chave para decodificar as informações, o que fragiliza todo o processo.

Já a criptografia assimétrica, adotada por WhatsApp e Telegram, representa uma maior confiabilidade no mecanismo. Basicamente, esse tipo de criptografia envia dois tipos de chaves para cada usuário que faz parte do processo. Assim, a transferência de informações se torna mais confiável e segura.

É realmente seguro acionar a criptografia?

Com todas as informações que foram apresentadas, é inegável dizer que a criptografia é um mecanismo que promove uma eficiência muito grande sobre a segurança do conteúdo da transferência de dados entre os usuários.

A assimétrica, adotada pelos principais aplicativos de comunicação, mostra que é capaz de proteger de maneira devida todas as mensagens sigilosas que foram enviadas entre os usuários. No entanto, é importante entender que sempre haverá pessoas mal-intencionadas com o objetivo de corromper esse sistema.

Logo, é fundamental que as empresas responsáveis pela segurança das mensagens estejam atentas a esse tipo de ataque e busquem soluções para que o sistema não seja comprometido. Sendo assim, podemos dizer que a criptografia de ponta a ponta é um sistema bem-constituído, capaz de entregar um nível de segurança satisfatório a seus usuários.

É muito importante que haja atenção em relação à segurança de dados sigilosos. Uma vez que o usuário entenda todo o processo, a tomada de decisão sobre usar esse tipo de sistema fica facilitada, promovendo tranquilidade a todos que fazem parte da atividade.

Este conteúdo foi útil para você? Então, compartilhe no Facebook e ajude outras pessoas que precisam entender como funciona a criptografia de ponta a ponta!