Ter o telefone celular roubado não é lá a melhor experiência possível. Afinal de contas, além da perda física do aparelho, ele ainda pode armazenar diversos dados pessoais, fotos e informações importantes para a vida pessoal e profissional, verdade?

Por mais difícil e desagradável que esse momento seja, existe a possibilidade de amenizá-lo: você sabe bloquear IMEI do celular? Pois a realização desse procedimento, inclusive, é fundamental para evitar problemas com os dados do aparelho.

Para ajudar a entender melhor a respeito do tema e agir da maneira correta, apresentamos no post quais são os passos necessários para bloquear o IMEI do seu equipamento celular na operadora em situações de roubo ou perda. Continue a leitura conosco e fique por dentro! 

O que é IMEI?

O IMEI (sigla inglesa para "International Mobile Equipment Identify") é um código de identificação, internacional e exclusivo, formado por quatro grupos de números que todos os celulares têm. Com ele em mãos, é possível travar o telefone para que pessoas não autorizadas jamais acessem as informações pessoais armazenadas no dispositivo. 

Portanto, bloquear o IMEI do celular é um dos procedimentos imediatos que devem ser realizados em caso de roubo ou perda do aparelho. Desta forma, fica completamente inviabilizado o uso do smartphone mesmo que ele esteja em mãos indevidas.

Como descobrir o IMEI do celular? 

Para descobrir o IMEI do seu celular há diferentes opções. Você pode, por exemplo, digitar  *#06# no local de chamadas, como se fosse fazer uma ligação. Na sequência, a tela exibe o código com 15 dígitos.

Além disso, é possível encontrar esse número na embalagem do produto ou inclusive no adesivo que fica atrás da bateria. O ideal é anotar o código em uma folha de caderno e guardá-lo com cuidado para que você tenha como informar caso necessário. 

Quem não está com o aparelho em mãos também pode usar a alternativa remota para encontrá-lo. Para isso é preciso acessar o serviço “Encontre meu dispositivo”, fazer login em sua conta do Google e clicar no ícone informativo ao lado do nome do aparelho.

Caso o celular seja um iPhone, o IMEI fica acessível no menu de configurações do aparelho. É preciso entrar no menu “Ajustes” do iOS, depois “Geral” e “Sobre”. Serão exibidas várias informações a respeito do telefone, entre elas o número do IMEI.

Quando o iPhone não estiver com o dono, a melhor opção consiste em recorrer à central de controle do Apple ID. Após o início da sessão, role a página até o item “Dispositivo”. Depois disso, basta selecionar o iPhone desejado e conferir o IMEI.

Qual a importância de bloquear o IMEI?

De acordo com esta pesquisa e conforme sabemos, o Brasil é um país com altos índices de roubo de celulares, o que requer atenção redobrada na hora de cuidar do aparelho. Segundo o levantamento, 49% dos brasileiros entrevistados já tiveram o telefone roubado/furtado, sendo que menos da metade fez o registro do Boletim de Ocorrência.

É muito importante efetuar o bloqueio do IMEI para combater a pirataria e o roubo constante de equipamentos nas cidades. Explica-se: realizando esse procedimento em no máximo 48 horas, o celular para de funcionar na rede, impedindo qualquer pessoa de fazer ligações ou ter acesso à internet.

Assim, bloquear o IMEI do seu celular contribui para desestimular o roubo de smartphones. Aliás, até mesmo a Anatel solicita que os usuários façam esse procedimento para dificultar a compra de aparelhos, sem a certificação da agência, no mercado ilegal.

Como bloquear o IMEI?

É muito fácil bloquear o IMEI de um celular por motivo de roubo ou furto. Basta você entrar em contato com a sua operadora em um dos canais oficiais de atendimento para fazer o pedido. Além disso, aproveite para bloquear o chip SIM do aparelho, impossibilitando o acesso ao seu número de telefone. 

Cabe lembrar que, caso encontre o celular depois de já tê-lo bloqueado, ainda é possível realizar o desbloqueio ligando novamente para a prestadora do serviço.

Quais os documentos necessários para realizar o procedimento?

Para concluir esse procedimento, as operadoras, na maioria das vezes, pedem que o dono da linha telefônica faça a confirmação de documentos pessoais, como RG e CPF. Da mesma maneira, pode ser cobrado o Boletim de Ocorrência em caso de roubo ou furto, e outras informações relevantes. 

Em alguns estados existe a opção do Boletim de Ocorrência online em situações de furto, desde que sem ocorrência de ameaças e/ou violência. Para isso basta acessar a delegacia online da sua cidade, preencher os campos e registrar o acontecido junto às autoridades. Vale a pena conferir se existe essa possibilidade.

É possível bloquear o celular sem o IMEI?

Sim, é possível bloquear o celular sem o IMEI. Para tanto, é necessário informar o número da linha para a operadora. O bloqueio pode ser feito em todo o território nacional com possibilidade de consulta do andamento do processo por meio deste site.

A iniciativa tem o objetivo de fornecer dados sobre aparelhos celulares para um telefone específico e verificar se ele está impedido de ser utilizado em determinada zona.

Quais são os erros que não se pode cometer ao bloquear IMEI?

Não fazer o boletim de ocorrência

O boletim de ocorrência é fundamental em caso de roubo ou furto do celular. O ideal consiste em procurar a delegacia mais próxima e registrar a queixa. 

Não entrar em contato com a operadora

A operadora é a responsável pelo bloqueio do número. Partindo desse princípio, é fundamental comunicar o ocorrido com o aparelho o mais rápido possível. Vale lembrar que o bloqueio é internacional, ou seja, o aparelho não funcionar em nenhum país.

Ao longo do artigo, apresentamos quais são os passos necessários para bloquear IMEI do celular na operadora em situações de roubo ou perda. Não se esqueça de que é útil, também, contar com uma plataforma digital de seguro para proteger seu aparelho contra qualquer tipo de crime ou danos acidentais.

De quanto mais proteção o proprietário do celular dispuser, caem consideravelmente as chances de prejuízos, sempre de acordo com a apólice contratada. Existem opções acessíveis e confiáveis no mercado, portanto não deixe de conferir!

E aí, gostou do nosso artigo? Então aproveite que está por aqui e siga nossas redes sociais para ficar por dentro de outros conteúdos! Estamos no Facebook e no LinkedIn!